sexta-feira, setembro 29, 2006

Uma pergunta para os outros 364 dias do ano


TrancaRUa

Domingo é o dia máximo do espetáculo democrático. Dia da consagração dos bonecos de Olinda dos candidatos, dos porta-bandeiras pagos, dos panfleteiros profissionais, dos tocadores de bois dos currais eleitorais, dos oportunistas de primeira onda e dos profissionais que há décadas vivem da boquinha pública. Estão todos no páreo: Paulo Maluf, Fleury, Paulo Renato, Berzoini, Silvio Pereira, Apolinário, Quércia...

Dia também de alguns bem-intencionados e de dois ou três que ainda não perderam o elo mínimo de ligação entre representantes e representados e a noção de "coisa pública".


(exercício de cidadania em 2005)

Domingo é dia de liberdade motorizada, do exercício de poder dos 30% de cima. Para que a festa democrática aconteça de forma plena, julgam os senhores do poder e os gerentes das ruas que o melhor a fazer não é aumentar a oferta de transporte público ou reduzir as tarifas, mas sim liberar o estacionamento de veículos em cima de calçadas, faixas de pedestres e outros locais proibidos.

voltar ao topo

Comments:
Achei muito legal a iniciativa cidadã do seu blog. Tambem sou afavor da devolução do centro da cidade aos pedestre e do ar puro aos urbanos. Vivemos em cidade, mas não somos obrigados a transforma-la em um inferno. Vamos pedalar!
 
Ridículo essa atitude das pessoas.. me dá uma raiva interior quando vejo isso. Tenho vontade de fazer como uma vez vi num documentário, andar literalmente por cima dos carros que param em cima da caçada.
 
http://bicicletanavia.multiply.com/journal/item/69

Não é só em São Paulo que o carro está tomando conta, e não é só em São Paulo que a bicicleta é a melhor alternativa.

Reportagem sobre Brasília, a famosa cidade que, segundo praticamente todos, não dá pra viver sem carro, pois as distâncias são muito grandes. Será?
 
Postar um comentário

<< Home