segunda-feira, maio 22, 2006

"Vamos ter de nos livrar deste monstro que é o automóvel"

O arquiteto não pode projetar o mundo de hoje, pois ele não há, ou há como desastre. Não estou falando apenas de preparar profissionais para que entrem no mercado. Trata-se de inverter a rota do desastre. Não é o caso de se perguntar se é possível. Tem de ser, caso contrário estamos fritos.

Por exemplo, a poluição, o transporte individual com o automóvel, é um paradigma fácil de enfrentar, não pode continuar assim.

Vamos ter em algum momento de nos livrar deste monstro que é o automóvel, um transporte individual que entope nossas ruas e atrapalha o tráfego útil, coletivo. Representa uma deseconomia que nenhuma sociedade sustenta. Somos mais ricos do que se imagina. A economia não tem ferramentas para avaliar qual o prejuízo diário de São Paulo por estas horas de tráfego parado.

(Paulo Mendes da Rocha em entrevista à revista Bravo)

voltar ao topo

Comments:
Nas estatísticas do caos, temos que a cada 23 minutos a cidade ganha um carro a mais em circulação. Seria interessante sabermos quantos carros saem de circulação no mesmo período de tempo.
 
Acho que já estão computados os carros que entram e saem do cadastro e, em média, 1 novo carro está em "circulação" a cada 23 minutos.
 
Então a situação é pior do que eu pensava.

Como vemos.. http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u121914.shtml

São 22:28, posso ver a Marginal Pinheiro da janela e está cheia de carros lentos.
 
Postar um comentário

<< Home