terça-feira, novembro 01, 2005

subdesenvolvido - parte 1


(clique na imagem para ampliá-la)

A imagem acima é do bicicletário da Estação Central de Amsterdã, na Holanda. Ao contrário da mentalidade subdesenvolvida que reina nos governos destas paragens tropicais, por lá há muito tempo já descobriram que a bicicleta amplia a mobilidade, humaniza a cidade e democratiza o espaço (principalmente se usada em conjunto com o transporte coletivo). Basta um pouco mais de vontade e um pouco menos de factóides por parte daqueles que gerenciam as cidades.

Em São Paulo, o caminho é inverso: os corredores exclusivos de ônibus foram liberados para os taxis, planeja-se construir imensas garagens na região central e os calçadões foram fechados para as pessoas e abertos para as máquinas. Tudo para expulsar os camelôs e permitir que a classe média chegue até as portas dos centros culturais e de consumo em suas carruagens particulares movidas a petróleo.

Táxi, o rei da rua
No caso dos taxis a situação beira o ridículo. Quando a gestão anterior construiu os corredores exclusivos para ônibus, o sistema de transporte público melhorou significativamente. Agora a prefeitura liberou os corredores para os taxis que estiverem transportando passageiros (difícil é fiscalizar o interior dos carros com os vidros pretos). E agora vai gastar dinheiro públcio com a campanha "Use táxi no rodízio". Tudo para que os carro-dependentes não precisem se misturar com o populacho dentro de um ônibus ou perder a celulite caminhando nas calçadas esburacadas e sujas nos dias de rodízio.

Triste crônica do subdesenvolvimento (porque, como poderia dizer Zé Simão, "em desenvolvimento" é tucanar a pobreza através do gerúndio). Por essas e por outras que o Secretário de Obras e subprefeito da Sé, Andera Matarazzo, foi escrachado com muita criatividade no último dia 29. Vale a pena dar uma olhada.

voltar ao topo

Comments:
Hahaha... "perder a celulite caminhando nas calçadas esburacadas e sujas nos dias de rodízio" escrachou :)
 
gostei da materia, ja ouvi falar desse lugar ai parece um paraiso

mas aí, um problema que vai mudar o rumo do planeta e está para chegar: A queda da produção de petróleo e seu esgotamento, vocês poderiam falar sobre isso, tenho as informações completas - gymmer@ig.com.br
 
só pra constar: liberaram os corredores para carros normais nos fins de semana também. faz uns 15 dias...
 
nessa mesma foto dá pra ver um trenzinho passando ao fundo...
 
O que não entendi da campanha "Use táxi no rodízio" é de que querem demover os motoristas. Quem usa carro rotineiramente no dia de rodízio deve pegar mesmo o táxi. Será que querem convencer a NÃO usar o transporte público? Ou a não usar o segundo carro? Realmente, dinheiro público sendo usado para interesses particulares (cooperativas de táxis).
 
O único aspecto positivo do uso dos táxis é que eles, ao contrário dos carros, não ficam estacionados por todo o canto.
Fora isso, a prefeitura está querendo substituir 1 carro na rua por... 1 carro na rua?
 
Frugal, eu abri a tela de comentários para contestar o que você disse, mas pensei melhor e concluí que você tem razão.

A razão atestada para usar o táxi em vez do carro particular é a de que o táxi atende diversas pessoas ao longo do dia. Mas isso só melhora a questão de vagas para estacionar, porque em relação à quantidade de veículos na rua só piora! Veja:

- Se eu for trabalhar com o meu carro particular, ele vai ficar estacionado o dia todo, até eu ir embora;

- Se, por outro lado, eu vier de táxi, ele vai ficar rodando por aí ocioso em boa parte do tempo. Ou seja, um carro a mais na rua!

Apesar desse mesmo carro atender também a outras pessoas ao longo do dia, elas não sairam na rua ao mesmo tempo que eu, por isso não houve ganho. Se elas estivessem com seus carros particulares e eu com o meu, haveria menos carros na rua, pois eles ficariam fora das ruas praticamente o dia todo.

É, e eu que estava com o conceito [errado] de que andar de táxi ajudaria o trânsito... :(
 
Postar um comentário

<< Home