sábado, novembro 12, 2005

Conversa na ponte


Sexta-feira, véspera de feriado, final da tarde: milhares de veículos passam em fluxo contínuo de 30km/h nas seis pistas da Rubem Berta, parte do maior eixo viário de pistas expressas (sem semáforos) da cidade. A velocidade máxima exibida nas placas lembra ao motorista o sonho do comercial da TV: 80km/h.

De cima do viaduto, depois de tirar a foto encontro um ciclista que tinha passado por mim pouco antes. Na primeira ocasião, nos cumprimentamos ao reclamar de carros que obstruiam a faixa de pedestres. Em cima do viaduto, começamos a conversar sobre o caos motorizado, a bicicleta, profissões, vídeo...

Decido indicar este blog ao colega, falo do vídeo Sociedade do Automóvel, ele também trabalha com vídeo. Estava sem caneta, ele também. Ele tenta anotar o endereço no celular. Muito difícil escrever naquele teclado minúsculo.

Outro ciclista se aproxima, pergunto se ele estava com pressa e com a resposta negativa, peço uma caneta e um pedaço de papel. Ele vinha da Vila Olímpia para o Ipiranga e há quase 10 anos faz o percurso de bicicleta. "É muito mais tranquilo, não gasto nada, levo 40 minutos, devagarzinho, encontro gente no caminho, sempre tem uma conversa. Agora mesmo parei pra comer um doce".

Passo o endereço do blog para os dois. Nos despedimos e eu saio pensando: coitados daqueles milhares de seres humanos lá embaixo, solitários, trancados dentro de suas máquinas sem poder sequer conversar com ninguém (a não ser pelo celular), sem surpresas no caminho, sem poder contemplar o belo e caótico fim de tarde da metrópole. Dirigir para trabalhar, trabalhar para dirigir. E se parar no caminho, tome buzina.

voltar ao topo

Comments:
Desculpe colocar um comentário em inglês aqui mas vi numa comunidade da qual faço parte e achei sintomático.
Diz Roger:
"I was at the bus stop waiting for the No.277 (7th Avenue Express) to get home from work, and there was this lady who was waiting to get home. She was nicely drressed and clearly headed home from work, as well. We got to talking, and she mentioned how she doesn't always take the bus, but that she had to this week because of her car was in the shop. So, I asked her: "Now that you've taken the bus, why don't you do it more often." I should not have recommended that. Her eyes grew larger to the size of golf balls, and she responded: "Are you crazy? As soon as my car's ready, I'll be back on the street again." So, I lashed back with: "You mean stuck in traffic again?" And this is the part that really got me. She said: "Being stuck in traffic is a small price to pay to have your freedom back." I looked at her and said: "Mam, does that make sense to you? How can being stuck in your car for 45 minutes to an hour everyday, twice a day be freedom, and then you still have to find parking?" Guys, I kid you not, after that last bit, she literally walked over to the other side of the bus stop and stopped talking to me. lol."
Está aqui http://carssuck.tribe.net/thread/199059dd-4a4f-4e5c-b821-76186524ac89#65e74942-65a1-4cc3-9eb9-f1d696425438
O grupo é http://carssuck.tribe.net
 
Faz muitos anos que eu não tenho um carro. O preço social, político e individual é um absurdo.

Achei o seu blog numa lista de passeios noturnos. Muito legal.

Luis
www.bicibrasil.blogspot.com
 
Tem algumas discussões interessantes, talvez possa virar um dos links do blog.
Errei o link do meu nome na mensagem anterior.
 
parabens, seu blog tem um ótimo conteúdo. ha tempos estou querendo ler o apocalipse motorizado, agora a vontade é ainda maior.
informações legais, tenho entrado frequentemente, está nos meus favoritos.
 
muito bom, também costumo ter essa visao dos motoristas no transito quando estou pedalando... mesmo estando de bicicleta, me sinto "superior" à qualquer carrão, sabe pq? eu sou VERDADEIRAMENTE LIVRE

O petróleo está começando a acabar, preparem-se... não há combustível alternativo que supra a demana atual, ate +
 
ontem pedalando pro parque encontrei uma amiga correndo. fomos lado a lado e mais pra frente topamos com outra amiga, essa de patins! logo depois mais um amigo de bicicleta. então eram os 4, na velocidade da corredora, conversando.
mas se você colocar 4 carros juntos, só o que vai conseguir é buzina, xingamento e frustração...
 
hahaha
vedade debici
 
Postar um comentário

<< Home