sexta-feira, abril 01, 2005

Primeiro de abril

Ao contrário do que vem sendo divulgado pela imprensa, o prefeito José Serra afirmou no dia de hoje que o número de calçadões no centro será ampliado (e não reduzido). As novas áreas ganharão bancos, jardins, banheiros públicos e estacionamentos para bicicletas. A cidade ganhará ainda novas praças e parques, além de uma campanha permanente de desestímulo ao uso do automóvel.

As novidades municipais também incluem o aumento significativo do subsídio ao transporte público, a troca de 100% da frota de ônibus por veículos movidos a gás e a instalação de paraciclos em todos os terminais de ônibus. O prefeito também afirmou que a CET passará a autuar veículos estacionados sobre a calçada, em cima de faixas de pedestres, aqueles que não dão seta ao fazer conversões ou ameaçam pedestres e ciclistas, incluindo os que circulam nos bairros nobres.

As principais avenidas, incluindo as marginais Tietê e Pinheiros, ganharão ciclovias ou ciclofaixas. A partir de segunda-feira, todos os prédios públicos serão equipados com paraciclos e o comércio receberá incentivos para implantar estacionamentos para bicicletas. As máfias de guardadores de carro e valet-park também serão extintas com rapidez.

Os carros de polícia serão proibidos de estacionar em cima das calçadas e os veículos oficiais passarão a ser rigorosamente punidos quando cometem infrações de trânsito. Os veículos utilitários (SUVs), como Cherokee, Pajero e "Eco-sport", soferão aumento do IPVA, por ocuparem muito mais espaço que os convencionais.

Integração com o metrô
A integração do sistema de ônibus com o metrô, prometida em campanha, passa a vigorar a partir de hoje. O usuário pagará apenas uma passagem (que será reduzida para R$1,00) e terá direito a realizar o número de viagens necessárias durante o dia inteiro. O passe livre para estudantes de escolas públicas também foi autorizado pelo prefeito e passa a vigorar na segunda. Também serão vendidos bilhetes semanais e mensais (com desconto), a exemplo de países como a Inglaterra e a França.

Já o governo estadual irá tirar do papel a inspeção veicular contra a poluição, punindo com rigor aqueles que não mantém seus veículos regulados e equipados com catalisadores.

Alckimin afirmou que não irá esperar o período eleitoral para inaugurar a linha 4 do metrô e disse que novas linhas serão construídas em caráter de urgência. A frota de trens (incluindo os da zona leste) será rapidamente substituída e o tempo de espera será significativamente reduzido. O governador também iniciou uma limpeza administrativa no Detran, órgão mais corrupto da esfera estadual. As empresas de recursos de multa estão proibidas de funcionar a partir de hoje.

Volta dos trens
O presidente Lula afirmou no dia de hoje que irá transformar em caráter de urgência o sistema transporte no país. Acabará imediatamente com a máfia dos ônibus interestaduais. Também ressucitará e ampliará o transporte ferroviário de passageiros, extinto com a chegada das montadoras de automóveis nas décadas de 50 e 60. O presidente acabará com a notória corrupção na Polícia Rodoviária Federal.

Lula também afirmou que irá acabar com os a mamata das fábricas de automóveis, que deixarão de receber os monumentais incentivos fiscais que nenhum outro setor tem no país. Disse ainda que irá transferir estes recursos para o setor de transporte público, que hoje não recebe nenhuma ajuda governamental.

O presidente também revogou a lei que permite a circulação de carros com vidro fumê. Lula apresentou ainda um decreto que permite a todo cidadão destruir ou atear fogo em veículos com alarme disparado por mais de 10 minutos.

voltar ao topo

Comments:
até a passagem de ônibus a R$ 1,00 eu tava caindo que nem um patinho.
 
Ae cara achei muito legal esse seu blog e o tema dele!

Esse texto do 1° de abril é simplesmente genial! adorei!

voltarei mais vezes!

abração!
 
Não entendo qual o problema com os carros de vidro fumê. Eu ando no meu carro com meu filho de dois anos e o vidro fumê serve para diminuir o risco de assaltos. Coloquei por necessidade de proteger minha família, não porque sou metido a besta. Sou ciclista e motorista, não posso usar a bicicleta para tudo apesar de militar pelo seu uso como meio de transporte. E, quando estou de carro, preciso proteger minha família contra quem não teria escrúpulos em apontar uma arma para a cabeça do meu filho.
 
Willian, como você não deixou e-mail, respondo aqui mesmo.
O vidro fumê é o reflexo de uma sociedade dividida (entre os que tem e os que não tem) e violenta.

Um saída para a violência é colocar cercas e grades que lembram Auschwitz, contratar seguranças particulares, instalar câmeras, andar com os vidros fechados e escuros em carros blindados e, se possível, comprar uma arma para "se defender" (a indústria da segurança privada é a que mais cresce no Brasil).

A outra saída é lutar por uma transformação social mais profunda, integrando-se à cidade e aprendendo a conviver com a realidade (sem ser um idiota que vai arriscar a vida à toa para pagar de herói). Em vez de cercas e câmeras, praças e divisão de renda. Certamente muito mais difícil e demorado.

Não critico o vidro fumê enquanto opção individual, mas sim como o reflexo dessa sociedade.

Nenhuma cidade do mundo tem a quantidade de carros com vidro fumê que São Paulo tem. Isso é chocante para qualquer estrangeiro que chega por aqui, tão chocante quanto uma criança de cinco anos pedindo esmola.

Uma cidade com carros de vidro fumê é uma cidade em que as pessoas não estão interessadas no contato humano, ou seja, não reconhecem o próximo como um ser da mesma espécie. E uma cidade onde não há contato humano não é uma cidade, é um condomínio fechado ou uma penitenciária de segurança máxima.

Coloquei a proibição do vidro fumê pois me lembrei de um trecho do "apocalipse motorizado (o livro)" que era mais ou menos assim: se todo mundo se conhecesse na rua, não haveria tanta violência. Utópico? Certamente... Por isso primeiro de abril.
 
Valeu pela resposta luddista, deu pra entender melhor seu ponto de vista e vejo que também entendeu o meu. A gente se cruza por aí, de preferência de bike. :)

Abraço!
 
olha, vou colocar um comment um ano atrasado..

o vidro fumê deve ser BANIDO simplesmente por anular a comunicação visual entre motoristas, pedestres e ciclistas.

Lembram do 'break light'? SUa função é de permitir ver que o terceiro carro á frente está freando. Bem, com o vidro fumê, vai tudo por água abaixo...

entre outras mil razões que não tenho tempo de escrever agora...
 
Postar um comentário

<< Home